A enxaqueca distingue-se da dor de cabeça pela sua intensidade e persistência. Com maior incidência em mulheres, afeta geralmente um dos lados da cabeça e é acompanhada pela intolerância à luz e ao ruído, podendo vir acompanhada de vómitos, enjoos e até febre. Conheça algumas dicas que ajudam a aliviar os sintomas.

As dores de cabeça são relativamente comuns em situações que provocam stresse, maior desgaste, nervosismo, agitação ou cansaço, mas, quando se tornam intensas, latejantes e persistentes, incidindo especialmente de um dos lados da cabeça e podendo ser acompanhadas por outros sintomas como intolerância à luz e ao ruído, vómitos e até febre, estamos perante uma situação diferente, e que muitas pessoas bem conhecem: enxaqueca.

Considera-se que atinge cerca de 12% da população mundial, sendo mais incidente em mulheres. Pode surgir de forma intensa em períodos específicos, como antes da menstruação, por exemplo, o que se deve à flutuação dos níveis de estrogénio, em função das alterações hormonais provocadas pelo ciclo menstrual. A enxaqueca está muitas vezes associada ao cansaço, ao stresse, a deficiências alimentares e a privação do sono, havendo também uma predisposição genética que faz com que algumas pessoas possam ser mais afetadas.

De um modo geral, são as pessoas com um sistema nervoso mais sensível aquelas que mais facilmente são afetadas. A enxaqueca resulta do facto de as células nervosas reagirem a um estímulo que as deixa agitadas, fazendo com que produzam atividade elétrica e enviem impulsos para os vasos sanguíneos. Ao espalhar-se pelo cérebro, esta atividade elétrica atinge os nervos e estes, ao serem estimulados, podem libertar substâncias que causam uma inflamação nos vasos sanguíneos do cérebro, causando dor e os outros sintomas que podem manifestar-se.

Como se distingue da dor de cabeça comum?

- Um dos fatores que distingue a enxaqueca tem a ver com a sua persistência, podendo demorar entre 4 a 72 horas, em média. A dor de cabeça passa mais depressa;

- A enxaqueca é considerada uma cefaleia primária, já que a dor em si é a causa do desconforto. A dor de cabeça comum é uma cefaleia secundária, na medida em que surge como sintoma de outros problemas de saúde;

- A enxaqueca manifesta-se geralmente de um dos lados da cabeça, provocando uma dor latejante e intensa, que faz com que a pessoa tenha dificuldade em continuar a desempenhar as tarefas que tinha em mãos. A dor de cabeça tende a atingir os dois lados da cabeça, sendo menos intensa;

- Em muitos casos a enxaqueca faz com que a pessoa se sinta incomodada pelo ruído exterior e pela luz. Pode vir acompanhada por vómitos, enjoos, tonturas, perda de apetite e até febre;

- Há pessoas que experienciam a chamada enxaqueca com aura, que se manifesta fazendo com que a pessoa veja flashes de luz ou manchas escuras, pontos luminosos ou imagens em ziguezague. Pode sentir confusão mental e/ou formigueiro no corpo ou na cabeça, e fadiga muscular.

Dicas que ajudam a aliviar a enxaqueca

Quando tiver uma enxaqueca é necessário parar de imediato o que estiver a fazer, pois quanto mais tempo insistir em ignorá-la mais persistente e intensa se torna. Se não passar, ou caso se torne recorrente, é necessário consultar o médico para que ele possa prescrever-lhe o tratamento adequado.

1 – Quarto escuro e silencioso

Ao sentir uma enxaqueca, deve dirigir-se para uma divisão onde esteja protegido contra o ruído e a luz. Repouse num quarto escuro e silencioso até sentir alívio dos sintomas.

2 - Colocar compressas frias na testa

Um dos métodos a que mais pessoas recorrem para alívio imediato consiste em colocar uma compressa fria na testa, sobrepondo-a na região onde lhe dói, já que o contacto com o frio tende a aliviar a dor. Outras pessoas obtêm melhores resultados ao aplicarem uma compressa morna.

3 – Hidratar-se

Procure manter-se bem hidratado, bebendo água ou um chá. (Caso tenha vómitos, tome medicação adequada para suspendê-los). O chá de gengibre é conhecido como um remédio eficaz no alívio das enxaquecas, mas é preciso saber se tem alguma contraindicação no seu caso, pois o gengibre acelera o metabolismo e causa agitação nervosa. De um modo geral, o gengibre tem ação anti-inflamatória e analgésica, combatendo a dor.

4 – Fazer refeições ligeiras e regulares

O jejum potencia a enxaqueca, sendo fundamental alimentar-se de forma equilibrada ao longo do dia, não estando muitas horas sem comer. Evite o consumo de alimentos açucarados, queijos curados, salgados e álcool, pois todos eles aumentam a propensão para sofrer de enxaqueca. O café, consumido numa dose baixa e sem açúcar, pode ajudar a aliviar os sintomas em algumas pessoas.

5 – Tomar um banho morno

Se estiver em casa e não tiver tonturas, náuseas ou outros sintomas, tomar um banho morno pode ajudar a aliviar a enxaqueca, pois a água quente ajuda a dilatar os vasos sanguíneos e as artérias, fazendo com que o sangue flua melhor.

Como acabar com a prisão de ventre?
Conheça algumas dicas que, embora não dispensem o acompanhame...
Alimentos que ajudam a controlar a diabetes
Portugal tem uma elevada taxa de incidência da diabetes, estimando-se...
Também pode gostar de:
Este site usa cookies para melhorar a sua experiência. Ao continuar a navegar estará a aceitar a sua utilização